Avaliamos o Civic LX: versão de entrada do sedã médio da Honda

Com preço inicial de R$ 107,2 mil ele tem motor 2.0 e se destaca pelos itens de série

Nem sempre um modelo de entrada quer dizer carro com poucos equipamentos. Assim, na décima geração o Civic se destaca pelo desenho arrojado que ainda é atual e pela invejável dinâmica na condução e suspensão. Adotando o velho motor iVTEC aspirado o Civic chega à linha 2021 com mudanças bem pontuais. O Farol da Bahia fez uma avaliação rodando com o Civic LX por 1.500 quilômetros.

O que mudou na linha 2021?

De forma resumida o carro ganhou a multimídia de série com 7 polegadas, ajuste de altura dos faróis e sensor crepuscular. Ficou só nisso. 

Embora seja um modelo “básico”, a versão LX do Civic traz itens como ar condicionado digital, câmbio automático (sem shift paddles) e freio de estacionamento com controle eletrônico. A multimídia também é item de série e vem com câmera de ré mas não com sensores. 

O estilo do Civic ainda chama muito a atenção. Anguloso, com dianteira cromada, estilo cupê e interior bem montado, o carro transmite qualidade na sua construção. Com suspensão dianteira e traseira independente entrega conforto e precisão à medida. A dianteira apesar de bicuda raspou minimamente em poucos obstáculos e os pneus Bridgestone Turanza aro 17 com rodas raiadas se mostra silencioso na rodagem. 

Bom desempenho mesmo sem turbo

A dinâmica de condução e de resposta do motor iVTEC 2.0 de 155cv e 19,5kgfm de torque não teve mudanças o que é um ponto positivo. Combinado com câmbio CVT as respostas são rápidas sem o habitual delay desse tipo de transmissão. Apesar disso o carro privilegia o consumo sobre o desempenho. No nosso teste com etanol o Civic rodou 7,2km/l na cidade e 9,6km/l na estrada. Com gasolina fez média de 10km/litro na cidade e 12,6km/l na estrada. 

Outro detalhe da versão é o revestimento dos bancos em tecido. Mesmo mais simples, os bancos são bem confortáveis e de perfil esportivo mesclando tecido quadriculado com o preto tradicional. 

No entendo vale lembrar que a multimídia que equipa o Civic LX ainda se trata da versão antiga, um pouco lenta e com interface antiquada que em nada combina com a modernidade do carro. Apesar disso tem Apple Car Play e Android Auto com espelhamento por cabo em um único ponto USB sob o console dianteiro. 

Na prática o Civic LX entrega o essencial para um sedã médio com dinâmica invejável e o mínimo de equipamentos devendo só um farol auxiliar e luzes em LED além de um desejável shift paddle para trocas manuais. Ao concorrer com Toyota Corolla, Chevrolet Cruze além de Volkswagen Jetta, Kia Cerato e Caoa Chery Arrizo 6, o Civic é o que entrega maior prazer ao volante e na versão de entrada segue bem equipado. 

Em 2020 o Civic vendeu 20.448 unidades o que é um bom número mas que não foi páreo para o Corolla que emplacou 41.083 unidades.


Comentários

Relacionadas

Veja Também

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!