Pode misturar que dá certo! Aprenda a usar peças atemporais na decoração de apartamentos

Aos detalhes...

[Pode misturar que dá certo! Aprenda a usar peças atemporais na decoração de apartamentos ]

FOTO: Anderson Freitas

Impulsionados pelo isolamento social, desde 2020 os brasileiros voltaram a sua atenção para os cuidados com a casa. A mudança de comportamento gerou ao mercado de decoração um aumento positivo nas vendas.

Segundo informações da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), somente no primeiro semestre de 2020, o número de vendas online de móveis e itens de decoração cresceu 23,61%, se comparado ao mesmo período do ano anterior.

Entre os itens decorativos que contribuem para o aumento nas vendas, as peças atemporais estão entre as "queridinhas" dos consumidores, ganhando destaque nos projetos de arquitetos e decoradores que precisam gastar pouco, entregando excelentes resultados.

As sócias da Casa Carvalho Arquitetura, Agnes Carvalho e Samara Carvalho, falam que a decoração atemporal, de fato, é uma ótima opção para quem quer manter sua residência atual a longo prazo, visto que num projeto como este, não existem elementos datados de períodos específicos.

Agnes afirma que as peças atemporais estão entre os itens decorativos mais procurados, pois elas permitem fazer mudanças constantes no ambiente, promovendo a mesclagem entre os artigos adquiridos e elementos que já compõem a decoração do ambiente.

“Para criar uma boa estética com foco no atemporal, dentro de um apartamento ou casa pequena, por exemplo, é necessário lembrar que além das peças, pode-se recorrer as cores neutras, focando em linhas retas e traços limpos sem tantas informações”, explica.

Para garantir que a composição fique mais atemporal, a profissional reforça que a utilização das cores também pode ser uma ótima alternativa. “Existem cores que se encaixam melhor neste processo e o branco é sempre atemporal, é clássico e eterno. Porém, podem ser usadas outras cores, como as claras e tons neutros, que também trarão esta característica”, acrescenta Agnes.

Samara Carvalho fala que esses são aspectos fundamentais para que a decoração do espaço não se perca no tempo e não seja datada. “Por isso, evitar elementos marcados de um período histórico é importante também para que a atemporalidade exista”, frisa.

Ainda como forma de orientar o público, que ainda associam os estilos retrô e vintage ao atemporal, as sócias falam que existe uma diferença entre eles. “Neste caso, o retrô e vintage trabalham com elementos que marcaram determinada data do tempo. Entretanto o retrô permite a utilização de releituras de peças e mobiliários”, esclarece.

Agnes ainda explica que o vintage se baseia nas próprias peças históricas, da época em questão. “Geralmente, esses são artigos herdados de família que carregam memórias e recordações do passado. Por isso, levam consigo a marca do tempo”, complementa.

A arquiteta salienta que, para quem deseja misturar peças clássicas com modernas em um apartamento ou casa pequena, a melhor maneira é equilibrar esses elementos, pois geralmente, os clássicos trazem volume por terem traços rebuscados e excesso de linhas e curvas. Enquanto, os modernos são mais limpos e trazem menos informações.

“Por este motivo, deve-se escolher um local da casa/apartamento a ser trabalhado, ou objeto de destaque com características arranjadas, balanceando com as linhas retas e modernas”, aconselha Samara.

Para alcançar o melhor resultado no projeto, durante o processo da busca pela atemporalidade, as arquitetas falam o que não se deve fazer na hora de mesclar a decoração. “Ao mesclar decorações não devemos utilizar elementos com muitas informações e que briguem entre si. É necessário escolher um deles de forma a destacá-lo no espaço, enquanto o outro deve trazer o equilíbrio. Dessa maneira, recomendamos não utilizar cores descombinadas, utilizar os círculos cromáticos e investir nos seus possíveis arranjos”, finaliza.


Comentários