Promotor torna-se primeiro professor titular negro da Faculdade de Direito da Ufba

Heron Gordilho apresentou memorial e foi aprovado por comissão julgadora

[Promotor torna-se primeiro professor titular negro da Faculdade de Direito da Ufba]

FOTO: Divulgação

O promotor de Justiça do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e professor de Direito Ambiental da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Heron Gordilho, tornou-se o primeiro negro a ocupar o cargo de professor titular da Faculdade de Direito da instituição. Na última sexta-feira (5), ele apresentou um memorial e foi aprovado por uma comissão julgadora, formada por cinco avaliadores da Bahia e de fora do Brasil. 

A banca foi presidida pelo professor emérito da UFBA, vereador e ex-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito. Ele dedicou 50 anos de sua vida à universidade baiana e foi o primeiro homem negro a fazer parte do corpo docente da instituição. “Mas não sou o primeiro titular dessa faculdade. Para que o conseguisse, fui à Universidade de São Paulo (USP), onde tenho duas titularidades iguais a essa que Vossa Excelência se submeteu. Não tive a felicidade e a honra que tem Vossa Excelência, de ser professor titular dessa faculdade, mesmo estando há meio século da minha vida aqui”, disso Brito. 

“Esse é um momento singular da minha vida: poder, antes de morrer, presidir nesta casa uma banca de titularidade, e sendo exatamente de um filho, como é Vossa Excelência para mim. Parabéns! Faça nessa casa o que eu nunca consegui fazer”, completou. 

Gordilho agradeceu as palavras e destacou que não sente nenhuma honra pelo fato de ser o primeiro professor titular negro da Faculdade de Direito da UFBA. “Queria ser o centésimo. Tenho orgulho, sim, de alcançar esse cargo. O último membro do Ministério Público que ocupou esse cargo foi o professor Calmon de Passos. A nossa sociedade, mesmo sendo composta por 80% de pessoas negras, precisou de 131 anos para um professor negro ocupar esse cargo”, disse o promotor. 

 


Comentários