Cacai e Luiza Bauer

O tão esperado carnaval começou na quinta-feira (20) e é importante que falemos de pessoas com deficiência curtindo a folia também. Irei dar enfoque a minha irmã neste artigo.

Cacai sempre foi uma menina muito da folia, sempre gostou de curtir os bailinhos de carnaval desde pequena. Na realidade, todos nós sempre gostamos e íamos juntos aproveitar bastante, fantasiados, com muito confete, glitter e espuminha. Minha mãe também sempre foi bastante carnavalesca, desta forma, todos os anos fez questão de nos levar em muitos bailinhos, crescemos desfrutando do carnaval e somos apaixonados até hoje.

É importante que falemos dos PCD’s no carnaval, cada vez mais vemos um deficiente físico ou intelectual na folia e isto deve ser visto de forma natural cada vez mais, todos nós temos o direito de curtir, a imagem que pessoas com deficiência poderiam estar em alguma situação de perigo ou que não seria apropriado que elas estivessem ali na “muvuca” precisa ser extirpada. Conheço, inclusive, casos de deficientes físicos que estão em cadeira de rodas que aproveitam do carnaval todos os anos juntamente aos seus amigos. Eles fazem um pequeno bloquinho e envolvem o amigo com deficiência dentro da corda deles, dá para ver o quão se divertem da mesma forma. É essencial que sejamos aliados igualmente a estas pessoas e que estejamos dispostos cada vez mais a nos oferecer para colaborar com esta inclusão.

O carnaval de Salvador por sua vez, também colaborou com a inclusão e ofereceu um camarote acessível para deficientes físicos e idosos. Foram mais de 850 vagas localizadas em três pontos do circuito Dodô (Barra/Ondina) e Osmar (Centro). No Circuito Osmar, o funcionamento ocorreu a partir da sexta-feira (21), das 12h às 20h. No camarote que fica na Piedade, também no circuito Osmar, o funcionamento foi a partir da sexta de carnaval, das 13h às 21h. Já no Circuito Dodô, o camarote funcionou a partir da quinta (20), das 16h às 2h. As inscrições começaram na segunda-feira (10) e puderam ser feitas na sede do Centro Unificado de Inclusão, Desenvolvimento, Assistência e Referência Social (Cuidar), na Rua Miguel Calmon, 28, Comércio, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.

Minha irmã aproveitou bastante o carnaval este ano como em todos os outros. Lá em casa, os únicos que não são carnavalescos são meu pai e meu irmão, desta forma, preferem estar em casa enquanto eu, Cacai e minha mãe curtimos bastante. O carnaval é época de festa e que aproveitemos bastante cada minuto da folia, com responsabilidade. Viva o carnaval. E viva o carnaval para os atípicos.


Comentários

Veja Também

[Inspirada nos signos do zodíaco, Marni lança nova coleção de artigos para a casa]

Como parte de seus esforços para preservar as tradições artesanais, a Marni desenvolveu os novos produtos em parceria com um grupo de artesãos colombianos

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!