Após passar no vestibular aos 14 anos, brasileiro passa em exame para atuar nos EUA

Mateus de Lima Costa Ribeiro tem 21 anos, e se formou em direito aos 18, em Brasília

[Após passar no vestibular aos 14 anos, brasileiro passa em exame para atuar nos EUA]

FOTO: Reprodução/G1

O advogado mais jovem do Brasil, Mateus de Lima Costa Ribeiro, de 21 anos, presta na próxima quinta-feira (15), juramento na Corte Suprema de Nova York após ser aprovado em exame  do New York State Bar Association, equivalente à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Em entrevista ao G1, o advogado disse que esse “é o resultado de muita dedicação”.

Mateus passou no vestibular da Universidade de Brasília (UnB), para o curso de Direito, aos 14 anos. Com 18 anos, ele se formou, e ficou conhecido como o mais jovem a ser aprovado para a OAB e também a fazer sustentação perante o Supremo Tribunal Federal (STF), com causa ganha. Em 2019, o brasiliense foi aprovado para um mestrado na Universidade Harvard, nos Estados Unidos. Durante a entrevista, ele disse que a experiência o fez "rever todas as premissas".

"Quando cheguei lá, percebi que havia muita demanda por pessoas que entendem tanto o universo jurídico brasileiro quanto o americano, e o mestrado em Harvard abre a porta para você fazer a prova do Bar", disse. "Acho que a vida não é sobre ter um plano é sobre sempre adaptar o seu plano", completou.

Advogado mais jovem do Brasil

Antes do mestrado em Harvard, o jovem atuou, por um ano, como advogado. Ele defendia, principalmente, causas que envolvem Direito Constitucional e, neste período, foi o mais jovem a realizar uma sustentação oral no STF. Mateus defendeu a tese de que apenas o estado pode legislar sobre o Direito do Trabalho. O entendimento representou a maioria da Corte em julgamento que contou com 7 votos favoráveis e 4 contrários. Na época, o  ministro relator do processo, Luiz Edson Fachin, definiu Mateus como "ilustre causídico [advogado]" e o parabenizou.

Ao G1, Matheus disse ainda que ele nunca quis ser definido pela idade dele. "Eu nunca quis ser definido pela minha idade. Eu nunca quis que eu fosse tratado de uma maneira especial, diferente ou pior por ser um advogado que estava na profissão mais cedo que o normal", disse. "Eu acho que quando você demonstra maturidade na sua profissão as pessoas reagem bem a isso e consideram que, dada a sua conduta, você merece. Eu acho que sempre fui muito bem recebido", completou.

A prova do "Bar", em New York, ocorreu em outubro de 2020, quando ele tinha 20 anos. No mesmo mês, Mateus voltou ao Brasil e, atualmente, trabalha em um escritório de advocacia em São Paulo, que presta apoio jurídico a empresas brasileiras que fazem operações internacionais.
 


Comentários

Relacionadas

Veja Também

[“Gordinha” de Eliana Kertész recepciona passageiros no Aeroporto de Salvador ]

Inspirada na escultura de "Salomé”, peça celebra os vinte anos da obra original 

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!