/

Home

/

Notícias

/

Mundo

/

Centenas de prisioneiros escapam da Penitenciária Nacional do Haiti logo após o inicio dos confrontos no sábado (2)

Notícias
Mundo

Centenas de prisioneiros escapam da Penitenciária Nacional do Haiti logo após o inicio dos confrontos no sábado (2)

Gangues haitianas atacam varias delegacias de polícia em toda a cidade

Por Da Redação
Centenas de prisioneiros escapam da Penitenciária Nacional do Haiti logo após o inicio dos confrontos no sábado (2)
Foto: Agência Brasil

Um dos Sindicatos da Polícia do Haiti, em uma publicação no X, pediu a todos os agentes da capital com acesso a carros e armas para ajudar a polícia a manter o controle da penitenciária, e ainda alertou que se os fugitivos tivessem sucesso “estamos acabados. Ninguém será poupado na capital porque haverá 3.000 bandidos extras agora efetivos”, afirmou o comunicado.

Segundo fontes de Segurança em Porto Príncipe o aumento da aumento de violência, que começou na quinta-feira (29) e o foco central dos agressores são as delegacias de polícia, o aeroporto internacional e a Penitenciária Nacional, não tem precedentes nos últimos anos.

Na sexta-feira (1°), o líder da gangue e ex-policial  haitiana Jimmy Cherizier, também conhecido como Barbecue, disse que continuaria o esforço para tentar destituir o primeiro-ministro Ariel Henry.

“Pedimos à Polícia Nacional do Haiti e aos militares que assumam a responsabilidade e prendam Ariel Henry. Mais uma vez, a população não é nossa inimiga; os grupos armados não são seus inimigos. Vocês prendem Ariel Henry pela libertação do país”, disse Cherizier, acrescentando: “Com estas armas, libertaremos o país e estas armas mudarão o país”.

Tudo indica que a frustração pública, que vinha crescendo contra Hery por conta da sua incapacidade de conter a afitação, acabou explodindo depois que ele não conseguiu renunciar no mês passado, citando a escalada da violência.

Os recentes conflitos, que surgiram na quinta-feira (29), decorreram quando Henry visitava o Quênia para finalizar os detalhes com o presidente queniano, William Ruto, para o esperado envio de uma missão multinacional de apoio à segurança para o Haiti.

Gangues em guerra controlam grande parte de Porto Príncipe, bloqueando linhas de abastecimento vitais para o resto do país. Desde o inicio do ano já foram registrados cerca de 1.100 pessoas mortas, feridas ou raptadas sendo considerado os meses mais violento em dois anos.
 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie:redacao@fbcomunicacao.com.br

Faça seu comentário
Eu li e aceito osPolítica de Privacidade.
© 2018 NVGO
redacao@fbcomunicacao.com.br
(71) 3042-8626/9908-5073
Rua Doutor José Peroba, 251, Civil Empresarial, 11º andar, Sala 1.102