Em entrevista, Ives Gandra aponta que STF "se transformou no maior partido de oposição”

Jurista também comentou sobre atuação de Bolsonaro e indicação ao STF

[Em entrevista, Ives Gandra aponta que STF

FOTO: Reprodução/Revista Oeste

Em entrevista publicada nesta quinta-feira (22) pela Gazeta do Povo, o jurista Ives Gandra não escondeu sua insatisfação e o constrangimento com as decisões tomadas pela Supremo Tribunal Federal (STF) desde o ano passado, a ponto de considerar que, atualmente, a Corte é o maior partido de oposição ao governo federal e se tornou favorável à corrupção. 

"Esse (Supremo), infelizmente, perante o povo, está completamente desfigurado, apesar de ter grandes figuras dentro da Corte. É isso que me entristece e me constrange. É isso que me traz desconforto porque, para pessoas que admiro, sou obrigado a criticar aquilo que eles (ministros) estão agindo, da forma como estão agindo", comenta.

O jurista também teceu criticas ao trabalho do Poder Legislativo, dando alguns conselhos ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). "Agora, o presidente (Bolsonaro) poderia falar menos, a primeira observação que eu faço. Porque, como houve, o presidente foi eleito pelas redes sociais e não pela imprensa, o presidente terminou fazendo muitas críticas à imprensa", reforça Gandra.

Por fim, ele também comentou sobre a próxima indicação que Bolsonaro fará ao STF, diante da aposentadoria do decano Marco Aurélio Mello. "Os três nomes que estão aí são grandes nomes. André Mendonça é um belo nome; Humberto Martins, eu tenho livros escritos com ele, talvez três ou quatro; e o meu filho (Ives Gandra Filho), enfim, é o decano do Tribunal Superior do Trabalho, foi presidente de um tribunal com 3,5 mil juízes, 500 desembargadores, 24 tribunais regionais, 27 ministros.", completa. 


Comentários

Relacionadas

Veja Também

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!