Vídeos: grupo ligado ao MST invade sede da Aprosoja, picha paredes e apedreja o prédio

Polícia investiga o caso como crime de dano e associação criminosa

[Vídeos: grupo ligado ao MST invade sede da Aprosoja, picha paredes e apedreja o prédio]

FOTO: Reprodução

Manifestantes ligados ao Movimento Sem Terra (MST) invadiram a sede da Associação Brasileira de Produtores de Soja (Aprosoja) nesta quinta-feira (14), picharam as paredes e depredaram a fachada do edifício, localizado no Lago Sul, em Brasília. Além dos portões e do muro, o grupo pichou as paredes da associação e jogou tinta nas janelas. De acordo com informações da Polícia Militar (PM), cerca de 60 pessoas participaram do ato. 

A ação foi promovida por integrantes do grupo Via Campesina Brasil, que protesta contra a fome e a miséria. Em âmbito nacional, o movimento é ligado ao MST. Em comunicado enviado à imprensa, o grupo afirmou que realiza hoje "ações simbólicas nas cinco regiões do país em denúncia ao atual contexto do aumento da fome no Brasil". Essas ações, segundo o texto, tem o objetivo de "denunciar o protagonismo que o Agronegócio cumpre no crescimento da fome, da miséria e no aumento do preço dos alimentos no Brasil".

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram a depredação e integrantes do grupo mandando os manifestantes jogarem pedras nos vidros. Além disso, é possível ouvir nos vídeos gritos de ordem como, por exemplo, “ocupar e resistir!”. Uma faixa escrita "soja não enche prato, Bolsonaro financia a fome" foi colocada no local em meio às pichações de "fora Bolsonaro" e "genocida". O termo "Agro da morte" também chegou a ser registrado na sede da Aprosoja. A Polícia Civil realiza perícia no local. A 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul) investiga o caso como crime de dano e associação criminosa.


 


Comentários