Ainda sem Neymar, Brasil volta a campo nas Eliminatórias diante do Equador, em Quito

Já classificado para Copa, Seleção deve realizar alguns testes em campo

[Ainda sem Neymar, Brasil volta a campo nas Eliminatórias diante do Equador, em Quito]

FOTO: Bruno Cassucci

Depois de um longo período de hiato, a Seleção Brasileira volta à campo nesta quinta-feira (27), quando encara o Equador, no estádio Rodrigo Paz Delgado, em Quito, pela 15ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar deste ano.

Com a classificação para a Copa já assegurada, o Brasil terá a oportunidade de fazer alguns testes e também ajustes. Invicto na competição, dono do melhor ataque e melhor defesa, a Seleção venceu 11 partidas e empatou duas, sendo líder folgado com 35 pontos, seis a mais que a vice-líder Argentina. Já o Equador é o terceiro colocado, com 23 pontos e pode se aproximar da vaga na Copa caso vença.

De início, a partida era cogitada para ser disputada sem a presença de torcedores nas arquibancadas, porém, depois de pressão do presidente do Equador, Guilherme Lasso, foi autorizada a ocupação de 50% da capacidade do estádio.

Tite segue sem contar com Neymar

Ainda sem poder ter a presença do camisa 10, que se recupera de uma lesão no tornozelo, o Brasil terá em campo uma equipe jovem, que tem a presença de jogadores como Raphinha (25), Matheus Cunha (22) e Vini Júnior (21).

A novidade também está no meio-campo. Após mais de um ano sem vestir a amarelinha, Phillippe Coutinho volta a ganhar uma oportunidade. O jogador substituirá Lucas Paquetá, que está suspenso.

O experiente Daniel Alves começa no banco, e com isso, a lateral direita será ocupada por Emerson Royal.

Confira a escalação do Brasil para o jogo de logo mais:

Alisson (Ederson), Emerson Royal, Éder Militão, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Fred e Coutinho; Raphinha, Matheus Cunha e Vini Júnior.

No histórico do confronto, o Brasil tem ampla vantagem sobre o Equador, com 34 jogos disputados, e contendo 27 triunfos brasileiros diante de apenas dois equatorianos.


Comentários