Autor de ato antirracista nas Olimpíadas de 1968 pede fim da proibição de protestos

Atletas não serão mais silenciados, diz John Carlos

[Autor de ato antirracista nas Olimpíadas de 1968 pede fim da proibição de protestos]

FOTO: Getty Images

John Carlos, um dos atletas negros que ergueram o punho cerrado nas Olimpíadas de 1968. O ato antirracista é exaltado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), que paradoxalmente proíbe manifestações durante os Jogos. Carlos enviou uma carta ao COI pedindo o fim da proibição de protestos em Jogos Olímpicos.

Após o levante antirracista decorrente do assassinato do ex-segurança George Floyd, homem negro de 46 anos, o COI confirmou que vai se manter fiel à regra 50 da Carta Olímpica. O regulamento estabelece que "não será permitida nenhuma demonstração ou propaganda política, religiosa ou racional nas venues olímpicas, instalações e outras áreas".

Segundo o COI, a regra 50 tem como objetivo proteger a neutralidade do esporte e do Movimento Olímpico. Na carta, John Carlos afirma que "os atletas não serão mais silenciados".

“O COI e o IPC (Comitê Paralímpico Internacional) não podem continuar no caminho de punir ou remover atletas que defendem o que acreditam, especialmente quando essas crenças exemplificam os objetivos do olimpismo. Eles devem desenvolver uma nova política em colaboração direta com representantes independentes de atletas de todo o mundo que protejam a liberdade de expressão dos atletas nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos”, diz a carta.

John Carlos e Tommie Smith, respectivamente bronze e ouro nos 200m do atletismo nas Olimpíadas de 1968, foram expulsos da delegação americana nos Jogos da Cidade do México por causa do icônico protesto, hoje exaltado pelo próprio COI como exemplo dos valores olímpicos.

Durante os Jogos Pan-Americanos de Lima, no ano passado, os americanos Race Imboden e Gwen Berry também foram suspensos depois de fazerem um protesto antirracista no pódio. Gwen inclusive repetiu o gesto de John Carlos e Tommie Smith, com o punho erguido.

 


Comentários

Relacionadas

Veja Também

[Thelminha Assis reproduz foto da primeira modelo negra a ser capa da 'Vogue' em 1966]

A modelo Donyale Luna fez história na década de 60, entrando para o time das grandes modelos

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!