[Fogo no onibuzinho!!!]

FOTO: Reprodução

Mesmo afirmando com todas as letras e números que não encontrou solução para resolver os problemas do transporte público,  principalmente da empresa CSN, que esta sob intervenção, o prefeito Bruno Reis anda de flerte com a empresa Piracicabana, que faz parte do grupo Constantino - aquele que é amiguinho do Eduardo Cunha - como já havíamos noticiado antes.
Usando as articulações politicas do DEM, leia - se ACMNero, ops desculpe,  ACMNeto - o Carvalho apurou que o approach entre empresa e prefeitura foi feito pelo vice governador de São Paulo, Rodrigo Garcia - aquele cujo o irmão, Marco Aurélio Garcia,  foi preso por estar envolvido na Máfia do ISS e por lavagem de dinheiro.
Segundo as variadas fontes que acordaram este colunista cedo pra contar essas news e deixaram sua preciosa cútis prejudicada pelo pouco sono, os trâmites para que a tal empresa assuma são cheios de detalhes e, entre eles, está um que não vai agradar em nada o sindicato e, muito menos, os 4,3 mil trabalhadores envolvidos sem querer nesta resenha judicial: de que a empresa só assumiria depois de 30 dias para que o passivo trabalhista dos empregados não seja "herdado" pela Piracicabana ou "Constatiniana". Aliás isso deve até ser ilegal, precisa chamar o representante do Ministério do Trabalho e perguntar...
Resta saber se, caso a historinha se concretize, quem vai bancar as dívidas trabalhistas dos empregados que já estão na justiça e, também,  dos possíveis demitidos, considerando que, pelas informações obtidas pelo Carvalho, a  CSN vai falir.
Com olheiras,  o colunista está aqui, sentado esperando o ônibus pegar fogo!

Carvalhada 1- Cadê o dinheiro que tava ai?

Os empresários das empresas Otima e Plataforma,  em reunião com o prefeito Bruno Reis, enunciaram suas dificuldades para dar continuidade a prestação dos serviços de transporte em Salvador,  tendo em vista, a massiva queda do volume de passageiros pagantes por causa das medidas de distanciamento  agravadas pelo lockdown e pelo aumento do diesel nos últimos 12 meses. Até ai nenhuma novidade se não fosse um chiado de que tinha gente da prefeitura torcendo para que os ônibus parassem para "dar uma força " no lockdown. Não sei se o maldito que cogitou uma imbecilidade dessas tem pessoas doentes na família, ou um filho acidentado, ou a necessidade de ter que usar ônibus,  mas só a possibilidade dessa conversa ter sido ventilada, já mostra que a "preocupação com a população é algo que passa longe" de alguém que pensa assim.
Voltando ao caso, as empresas estão com sérias dificuldades para pagar as despesas com a operação e a Prefeitura resiste em acertar o desequilíbrio contratual, fato que poderá gerar a paralisação do sistema. O prefeito, afirma que já aplicou uma grande quantia e que não tem dinheiro para gastar, apesar de ACMMaia, ops, quero dizer, ACMNeto - além do pepino dos transportes - saiu do cargo afirmando que deixou uma disponibilidade de caixa de 2 bilhões quando passou o bastão para Bruno Majestade. 
Cadê o dinheirinho que acabou tão rapidinho? Era de verdade ou era fake money? Os envolvidos precisam averiguar isso e me contar!


Notícia Anterior
A fuga do galinho
Próxima Notícia
Faroeste Ativar

Comentários

Relacionadas

Veja Também

[“Gordinha” de Eliana Kertész recepciona passageiros no Aeroporto de Salvador ]

Inspirada na escultura de "Salomé”, peça celebra os vinte anos da obra original 

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!