A nova revolução industrial

Confira o editorial desta quarta-feira (21)

[A nova revolução industrial ]

FOTO: Arquivo/Agência Brasil

A indústria brasileira enfrenta o desafio de aumentar sua competitividade no cenário global impactado pela 4ª Revolução Industrial, a chamada indústria 4.0. Felizmente, o governo Bolsonaro tem agenda para o assunto, com medidas para auxiliar o setor produtivo, em especial as pequenas e médias indústrias, em direção ao futuro da produção industrial.

A recuperação da economia brasileira e a melhoria do ambiente de negócios trazem oportunidades para o investimento em inovação e a transformação das plantas industriais atuais em fábricas inteligentes e modulares.

A Agenda Brasileira para a Indústria 4.0 é resultado de debate com o setor produtivo nacional. As medidas contemplam ações que vão da difusão deste novo conceito à disponibilização de linhas crédito mais acessíveis para que indústrias de todos os portes possam investir na adoção ou geração de novas tecnologias.

O conjunto de medidas, estruturado a partir do conceito de jornada para a indústria 4.0, prevê amplo suporte ao empresário que pretende seguir o caminho da transformação digital. 

Eficiência, controle de processos, qualidade dos produtos e segurança dos trabalhadores se impõem hoje como condição para o setor produtivo avançar rumo à indústria 4.0. A Agenda, por certo, precisa corrigir um grande gargalo no setor, que é a competitividade da indústria nacional.

A indústria 4.0 deve mobilizar imediatamente o setor produtivo brasileiro. O futuro da economia brasileira necessariamente passa por essa nova Revolução Industrial. A sociedade e todas as esferas do poder público também precisam estar preparadas para esse novo tempo.


Próxima Notícia
Mais tempo em casa

Comentários

Relacionadas

Veja Também

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!